PRODUTOS

CLEARTUF ® MAX™

br_image.jpg

A Cleartuf ® Max™ é a resina PET da M&G indicada para aplicações em embalagens de bebidas carbonatadas, como os refrigerantes.

É um polímero de alto peso molecular, com viscosidade intrínseca de 0,84 dl/g.

No desenvolvimento dessa resina, a M&G focou em dois objetivos importantes: a otimização da produção de garrafas e a redução no consumo de energia durante o sopro em máquinas de dois estágios. Assim, a Cleartuf ® Max™ favorece uma maior absorção de energia das lâmpadas infravermelhas, presentes na maioria das máquinas de sopro de alta performance.

Essa absorção de energia resulta em um melhor controle de temperatura durante o processo e, consequentemente, na melhoria da distribuição de material e das propriedades das garrafas. Essa característica pode também levar a um melhor rendimento do equipamento ou à redução do consumo de energia.

A Cleartuf ® Max™ é resina de última geração, pertencendo a uma categoria de resinas de fácil aquecimento, desenvolvidas para produzir embalagens com propriedades únicas, tais como excelente grau de transparência e brilho, alta resistência e dureza e excelentes propriedades de barreira.

Além do mercado de bebidas carbonatadas, Cleartuf ® Max™ é amplamente utilizada em outros segmentos, como óleos comestíveis, condimentos, isotônicos, higiene, limpeza e outros.

Tabela abaixo apresenta as características dessa categoria:

Característica Unidade Valor Limites Método de análise
Viscosidade intrínseca (VI) dl/g 0,84 +- 0,02 3J - Lab-050
Acetaldeído residual ppm 1,6 Máx. M&G/QC-03
Cor L* - Valor CIELab 70 Mín. M&G/QC-02
Cor B* - Valor CIELab -0,5 Máx. M&G/QC-02
Ponto de Fusão ++ °C 247 - M&G/QC-06
(*) Método de referência M&G
​(++) Monitorado somente em resina de alimentação

Aspectos importantes de uso no processamento

Secagem
Poliésteres termoplásticos como a resina Cleartuf ® Max™ podem sofrer hidrólise se a umidade não for eliminada antes do processo de injeção, levando a uma redução do peso molecular e à perda das propriedades mecânicas da garrafa, afetando a performance no teste de carga vertical (top load) e a resistência ao impacto.

Recomenda-se que o teor de umidade da resina seja reduzido a um valor inferior a 0,003% (30ppm), antes do processo de fusão. A secagem é mais eficaz se utilizado secador com dessecantes, normalmente com peneiras moleculares, onde o ar utilizado para a secagem da resina é previamente desumidificado.

O ponto de orvalho (dew point) do ar seco deverá ser mantido, no máximo, a -29ºC (máx. -20ºF). As condições típicas de secagem são: temperatura de 175ºC (350ºF), tempo de residência no secador de 4 a 6 horas e uma vazão mínima de ar de 1,0 ft3/min por libra de polímero consumido por hora.

Moldagem por injeção, esfriamento e sopro
As temperaturas de injeção devem ser as mais baixas possíveis para produzir pré-formas com boa transparência. Deve-se ter atenção com valores acima dos limites, para evitar cisalhamento excessivo durante a injeção.

As temperaturas típicas de processamento são geralmente 10ºC a 30ºC mais altas que o ponto de fusão informado na folha de dados, na dependência, em grande parte, de condições de injeção, como tempo de residência e cisalhamento.

No processo de estiramento e sopro, as pré-formas devem ser aquecidas a níveis mínimos, suficientes para produzir embalagens de qualidade, com boa transparência e orientadas biaxialmente.

As temperaturas típicas da superfície da pré-forma ficam geralmente entre 90ºC e 105ºC, e dependem em grande parte da programação e eficiência do equipamento.

Manuseio
A resina poliéster Cleartuf ® Max™ não apresenta perigos de intoxicação por contato com a pele ou inalação, sob condições normais. Deve-se evitar o contato com o polímero fundido.

O empilhamento máximo recomendado é de 2 unidades.

Precauções com fogo
Como a maioria dos polímeros orgânicos, o polímero PET pode queimar. Apesar de ser difícil de incendiar, o PET é definido como combustível, mas não é considerado “altamente inflamável”.

Precauções devem ser tomadas a fim de se evitar a presença de fontes de ignição em galpões e áreas de estocagem. Se grandes quantidades forem estocadas, a limpeza deve ser reforçada, incluindo ausência de poeira, acessos desobstruídos, sistemas de detectores de fumaça etc.